Crítica- O Melhor Amigo da Noiva

by

Você pode colocar no papel, toda comédia romântica obedece a fórmula x tá afim de y mas algo impede que os dois fiquem juntos. No final, uma loucura de amor muda tudo. Pois é, O Melhor Amigo da Noiva não é diferente e, se tratando de um filme desse gênero, nem era para ser. Mas por que assití-lo (ou não), então?

O que salva um filme de comédia romântica é exatamente o que salva uma boa cantada. Quer dizer, ambos tem alto teor de previsibilidade, mas isso não quer dizer que seja ruim. Tudo dependende do lugar, da situação e da cantada.

Mas, como não estamos falando simplesmente de romance e sim de uma comédia romântica, é importante acrescentar algo que cative, um plus, uma pitada a mais na dica acima. Logo, entendemos que todo bom filme no gênero contém as situações (mais) inusitadas, nos lugares (mais) impróprios com as cantadas (mais) originais.

Nisso, souberam dosar bem os roteiristas Harry Elfont e Deborah Kaplan, que já trabalharam juntos em Josie e as Gatinhas (2001) e Mal Posso Esperar (1998), dois bons filmes de humor. Adam Sztykiel, o terceiro da equipe, apesar de estreante, assina pela história toda, o cérebro por trás de toda criatividade.

Pega logo, rapaz!

No enredo, um homem mulherengo se torna melhor amigo da única mulher que não se seduziu por ele. Mas, com o tempo, a proximidade dos dois os leva a sentirem algo mais um pelo outro. A princípio, no entanto, ninguem expõe isso de forma direta.

Claire (Michelle Monaghan) até tentou alguma coisa, mas Tom (Patrick Dempsey) só dava bola fora. Então, ela conheceu um escocês em uma viagem e engatou um romance com ele.

Quem não gostou nada disso foi Tom, que se apaixonou por Claire. Ele tentou dizer a ela, mas ruídos na comunicação o impediam . Quando a menina voltou de viagem, Tom recebeu seu único consolo: um convite para ser Dama de Honra do casamento da amiga.

Ele aceitou -mas com segundas intenções, é claro.

Trama

Com certeza aceitar ser dama de honra de um casamento para tentar impedí-lo é uma boa tirada, mas podia ser mais explorada pelo diretor Paul Weiland. As situações engraçadas se resumem em poquíssimas cenas, muitas vezes com um humor mais contido no diálogo do que na ação em si.

Cenas como a do restaurante, em que Tom se desentende com o garçon, ou do banheiro, em que Tom e seus amigos se surpreendem com o tamanho do seu oponente escocês, não fazem frente aos milhares de diálogos de humor do filme.

Seja nas conversas do rapaz com amigos do basket, ou com o pai mulherengo, o fato é que esses diálogos sempre são contaminados por lições de moral do tipo ‘você tem de largar tudo, ir até ela e pam‘. E isso é até importante, mas repetidamente, aborrece.

Claro, isso seria um erro mais de roteiro, do que de direção. Mas em uma produção audiovisual é papel do direitor sentir o time do filme e perceber quando ele está chato. Cineminha bom para uma pipoca, mas enche o saco! (assim você se distrai..)

Anúncios

Tags: , , , , , , , , ,

7 Respostas to “Crítica- O Melhor Amigo da Noiva”

  1. Mia Says:

    Ótimo blog!

    Eu ainda n vi esse filme mas tô louca pra ver. Aliás, Patrick Dempsey tá na moda depois de Greys.

    Muitos filmes de comédia romântica esse ano! Quase todos tem a mesma freaking história, mas a gente não deixa de ver, né?! hauihuaihuia

    Adorei o blog!

  2. Bruno Costa Says:

    Comédia romântica é o chute certo para quem quer dar uma relaxada e uma descontraída assistindo filme.

    Sem muito drama, sem muita piada pastelão, é a linha menos ocilosa do cinema, na minha opinião.

    Identificação com os personagens ou com a história (ou fragmentos), eu chutaria que acontece em 90% dos casos. rs

    Valeu pela visita, MIA!

    Apareça mais vezes!
    Bjs

  3. new Says:

    Por isso adoro filmes europeus. As comédias românticas francesas, por exemplo, são o máximo e a gente nunca sabe o final, pois elas nunca são ‘redondinhas’ como as americanos. O último que assisti e que dei boas risadas, foi a de uma história de uma sogra que acaba com o genro… pode? É ótimo.
    Bem, e que negócio é esse de ignorar seus recados? Nada disso. Deixei recado aqui a semana passada. Procurei, procurei e não encontrei. Eu estava com, apenas, 9 vírus no meu pc. Pode ter sido isso. Jamais deixaria de lhe dar, ao menos um ‘oi’, mesmo estando na TPM, viu? … sniff!!!
    Beijocas em dobro.

  4. Jaqueline Amorim Says:

    Essa é mesmo uma boa pedida!!!! Estou sumida mas não esqueci de você não viu?! Beijos e boa semana! 😀

  5. Bruno Costa Says:

    New, pena que são raros os que passam no cinema. Na verdade até passam filmes de outros países sem ser EUA, mas são em cinemas menos “populares”. De qualquer forma, você me deu uma boa idéia :).
    Agora, sobre esses virus aí… segue o próximo comentário…

    Jaque, vc tá perigosa com esse lance de virus e worms, etc, hein! Bem que eu achei estranho qd vc fala “sempre testo antes para postar no blog”. Tadinha da New, virou sua vítima. Logo 9??!?!
    Rsrsrs….;P

    Boa semana para todo mundo!!
    bjao!

  6. Mia Says:

    De nada, vou sempre dar uma olhada aqui agora.

    Também tenho um blog sobre cinema, o Sala 7! No meu outro comentário, eu estava logada no meu site de Roswell! =P

    Agora já tá com o link aí, caso vc queira dar uma olhada lá tb.

    ;*

  7. Jana Moraes Says:

    Tô louca pra assistir…
    Primeiro por que ele é lindo.
    Segundo por que dizem que lembra o “casamento do meu melhor amigo”.
    Passa na Maçã…

    Você não vai se arrepender.

    http://macacomlimao.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: